quarta-feira, 29 de abril de 2015

QUARTO MUNDO



Quando eu era bem pequeno, devia ter uns oito ou nove anos, ganhei um quarto só para mim. Antes eu divida o quarto com a minha irmã, mas depois da saída do meu irmão de criação, fique com o quarto dele, logo depois já fui arrumando uma cama, um guarda-roupa só para mim.
Desde daquela época criei um habito de imaginar que o meu quarto, seria o meu mundo, sim, um mundo inteiro e eu seria o Imperador dele. Eu criava em cada canto, vales, selvas, mares, controlados por mim e sempre pegava bonecos e até mesmo canetas para explorar esse imenso mundo.
Os anos foram passando e o meu quarto continua o meu mundo, mas desta vez não tem vales ou castelos encantados. Meu quarto virou o meu refugio, fico aqui para fugir desse mundo profano que muitas vezes só me trazia magoas em meio as bagunças de papeis ou trouxas de roupas jogados no canto.
Meu quarto virou o meu casulo, aqui tudo que quero se realizar todos os meus sonhos acaba acontecendo, sem eu precisar fazer muito movimento, afinal e o meu mundo que estamos falando.
Gosto principalmente estar no meu quarto em noites de chuvas, quando enfio debaixo da coberta, apago a luz e simplesmente ouço o barulho da chuva, caindo devagarzinho pelos vidros da janela.

Talvez eu seja somente um louco tímido que não queira viver num mundo real, e que se esconde atrás de quatro paredes, mas não me isolo do mundo, o meu quarto esta de portas fechadas, mas não trancadas, para entra-lo, só basta bater um pouco e falar seu nome, se eu responder e por que você pode entrar. Se eu ficar calado, melhor tentar outra hora, talvez eu não queira que você entre nele.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Comenta alguma coisa ai...